cebola


Nome científico: Allium cepa
Família: Aliáceas (sinônimo – Liliáceas)
Nome comum: cebola, onion (inglês)
Origem: Ásia
Descrição e característica da planta: a planta é herbácea, com altura de até 60 centímetros e toda a sua parte aérea é constituída pelas folhas. A folha é verde-escura, tubular e cerosa. A cabeça ou bulbo é uma parte da folha adaptada para armazenar reservas da planta. As folhas e as raízes são formadas numa pequena estrutura achatada, denominada rizoma, que fica localizada bem na base do bulbo. As raízes têm a forma de fios e pode chegar a 60 centímetros de comprimento, mas a maioria tem em torno de 20 a 30 centímetros. O bulbo é a parte comestível e pode variar no tamanho, na cor, na pungência e na resistência ao armazenamento após a sua colheita, em função de variedades. De acordo com a duração do ciclo da cultura, que vai da semeadura à colheita, e da exigência de horas luz dia (fotoperíodo), as variedades são agrupadas em três ciclos:
a) precoce, aquelas com ciclo curto, com duração de 4 a 5 meses e fotoperíodo de 10 a 11 horas;
b) mediano, duração de 5 a 6 meses e fotoperíodo de 11 a 13 horas;
c) tardio, duração de 6 a 8 meses e fotoperíodo acima de 13 horas.
Para o florescimento, os bulbos colhidos necessitam de choque frio, por muitos dias, e depois serem plantados e conduzidos nos meses de dias curtos.
No entanto, a produção de sementes só interessa aos pesquisadores e aos produtores de sementes comerciais. A propagação é feita por sementes. Existem três métodos para iniciar uma cultura da cebola: semeadura seguida por transplante, semeadura direta e plantio por bulbinhos. No primeiro método, faz-se semeadura para a obtenção de mudas em canteiros e depois são transplantadas ao campo. Na semeadura direta, utilizam-se equipamentos de precisão e faz-se o plantio direto no campo. Por bulbinhos, a produção passa por duas etapas (método adotado no estado de São Paulo):
a) semeadura rala em canteiros com determinadas variedades, em junho-julho, e colhem-se os bulbilhos três meses depois;
b) os bulbinhos, armazenados em locais frescos e bem ventilados, são plantados em fevereiro-março e colhidos quatro meses depois, na entressafra.
O plantio por bulbinhos é pouco adotado, principalmente pelo custo de produção.
Produção e produtividade: o Brasil é um grande produtor e consumidor de cebola, mas ainda importa principalmente da Argentina, no período de março a julho. A produção de cebola nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste do Brasil vai de junho a novembro.  Como é um produto altamente perecível, o preço pago ao produtor varia muito em função da disponibilidade no mercado ao longo do ano. Na entressafra, o preço é elevado, mas, na época de grandes safras, o preço fica muito baixo e os produtores nem colhem porque não compensa. Os estados de São Paulo, Santa Catarina, Bahia, Rio Grande do Sul e Pernambuco são os maiores produtores brasileiros. Entre os maiores exportadores mundiais estão: a Holanda, a Índia, os Estados Unidos, a Espanha e o México. As maiores produtividades médias são obtidas na Coréia, nos Estados Unidos, no Japão e na Holanda. A produtividade média brasileira está em torno de 12,7 toneladas por hectare.
Utilidade: a cebola é consumida principalmente picada e misturada com outros alimentos, como carnes, ovos, massas, sopas e saladas. Ela pode ser consumida também como: picles, diferentes tipos de molhos, cozida inteira e industrializada na forma de pó ou de flocos.



<< Voltar para Produtos
Busca no Site:

newsletter

Cadastre-se aqui e receba
nosso informativo digital






Aphortesp - Associação dos Produtores de Horti-Fruti do Estado de São Paulo
Todos os Direitos Reservados. 2009 - Desenvolvido por: Andréa Mari