quiabo


Nome científico: Abelmoschus esculentus (sinônimo: Hibiscus esculentus)
Família: Malváceas
Nome comum: quiabeiro, quiabo, okra (inglês)
Origem: África, na Etiópia
Descrição e característica da planta: o quiabeiro é uma planta anual, arbustiva, caule semilenhoso, ereta, com 1,80 a 3,00 metros de altura e pode emitir ramificações laterais. Na produção comercial, as brotações laterais são eliminadas, mas, se as mantiverem, também frutificam. Contudo, plantas muito ramificadas produzem frutos de menor tamanho e de menor qualidade.. As folhas são grandes, com lóbulos mais ou menos acentuados e são emitidas diretamente do caule. As flores são relativamente grandes, isoladas, amarelas e emitidas na região de inserção das folhas no caule. Elas são hermafroditas (têm os dois sexos na mesma flor), autoférteis e ficam abertas por apenas um dia. Os frutos são longos, de coloração verde-escura a verde-clara, formato cilíndrico, com ponta afilada e ligeiramente recurvada. Os frutos para consumo devem ser colhidos 4 a 10 dias após o florescimento, quando estiverem com 10 a 14 centímetros de comprimento, ainda tenros e não fibrosos. Nesse estágio, a ponta dos frutos é facilmente quebrada com os dedos. Quando maduros, eles são longos, bem fibrosos, duros e passam à coloração amarelada e secam. No seu interior, contém de 30 a 150 sementes, arredondadas, duras e de coloração cinza-esverdeada. As primeiras colheitas ocorrem 60 a 75 dias da semeadura, em épocas mais quentes, e aos 85 a 100 dias, no período mais frio. O período da colheita pode prolongar-se por 3 a 8 meses, e depende de variedades, condições climáticas e tratos culturais adequados. As variedades mais plantadas são: Santa Cruz 47, Amarelinho, Campinas II, Esmeralda, chifre-de-veado, Colhe bem e Roxo. A planta não tolera a geada e a baixa temperatura. Elas se desenvolvem e produzem bem em clima quente a ameno, solos profundos, permeáveis, ricos em matéria orgânica ou com boa fertilidade. Trata-se de uma planta bastante tolerante à falta de água, mas, para uma boa produção, é importante a disponibilidade de água durante todo o ciclo da cultura. A propagação é feita por sementes.
Produção e produtividade: o quiabeiro é cultivado em regiões quentes do Oriente Médio, da Ásia, da África e da América. No Brasil, o cultivo é generalizado em todas as regiões, inclusive em hortas caseiras. No estado de São Paulo, as regiões de Araçatuba e de Campinas são as maiores produtoras de quiabo. A produtividade brasileira varia de 20 a 40 toneladas por hectare. Essa variação depende de vários fatores como variedade, tipo de solo, clima, fertilidade do solo, disponibilidade de água pelas plantas, tratos culturais e ocorrência ou não de doenças e pragas nas plantas.
Utilidade: o quiabo é consumido principalmente cozido e também como saladas, refogados, em sopas, preparados em mistura com carnes diversas,  com arroz ou com outras hortaliças. Trata-se de uma hortaliça de alto valor alimentício, pois fornece fibras, proteína e vitamina C. Uma característica do quiabo é a presença de substância viscosa ao cortá-lo. As sementes secas contém alto teor de proteína (20 a 26%) e de óleo comestível de boa qualidade (12 a 20%). Nos países africanos e asiáticos, as folhas são usadas na alimentação de animais.



<< Voltar para Produtos
Busca no Site:

newsletter

Cadastre-se aqui e receba
nosso informativo digital






Aphortesp - Associação dos Produtores de Horti-Fruti do Estado de São Paulo
Todos os Direitos Reservados. 2009 - Desenvolvido por: Andréa Mari